Publicado em Poematizese

Cansei de relações meio vazias desde que aprendi a ser mais que cheia, me transbordar

Amei profundamente cada pessoa que me relacionei, ainda as amo porque no meu coração o amor nunca acaba, e sim, se transforma em formas diferentes.

E tendo essa certeza, eu descobri que a pessoa que mais amo nunca me deixará. Ela passará todos e cada momento da minha vida ao meu lado. Por isso, devo amá-la, respeitá-la e ser fiel à ela até o fim. Essa pessoa sou eu mesma.

Cada relacionamento abusivo foi para mim (e continua sendo) uma escadinha de aprendizagem. Tem gente que acha que relacionamento abusivo é só para mulher. Não é não. Você amigão, pode estar sofrendo um agora. Ou sua irmã, sua avó, seu cachorro ou mesmo o carteiro.

Qualquer ferida psicológica, emocional, física ou espiritual vem de uma agressão, de um relacionamento abusivo com você mesmo ou com terceiros.

Quando eu percebi que em todas as minhas feridas, pelo menos 50% era responsabilidade minha, eu decidi não me ferir mais. O primeiro passo foi o mais difícil e continua sendo.

RESPEITAR A MIM MESMA

Eu exijo respeito dos outros, mas até certo momento não estava respeitando meus limites. Cada vez que eu me ajeitava pra lá ou pra cá só para deixar alguém mais confortável, mesmo que isso me deixasse de um jeito ruim, eu fazia.

Mais tarde ficava com dores e refletia sobre o fato de nunca haver reciprocidade. Eu culpava o outro pela minha decisão de ser “gentil” diversas vezes, repetidas vezes. Isso na hora de sentar, ou na hora de escolher, quem vai pagar a conta, quem vai desistir do passeio, quem vai desistir da viagem, dos sonhos, da realidade, da vida.

Mas um dia eu transbordei de revolta. Aquele dia foi lindo.

Decidi que o agora era hora de respeitar o meu espaço, de ensinar os outros a respeitarem também. Não com gritos, palavras, ofensas. Ensinar com o meu exemplo.

AMAR A MIM MESMA

Sempre achei que amei a mim mesma mais do que tudo, mas eu estava enganada. Percebi isso quando não pude ficar sozinha comigo mesma por um tempo. A vida ficava vazia se eu estava sozinha. Mais isso mudou quando aprendi a me amar.

Meus hábitos favoritos faço na companhia do meu anjo da guarda e do meu próprio espírito. O silêncio na cabeça é a paz mais maravilhosa que podemos encontrar. Meus livros, minhas séries, minha barriga e meu blog agradecem quando tiro férias do mundo e convivo só comigo mesma.

O barulho do mundo é ensurdecedor se sua mente estiver a mil.

Mas eu já não escuto mais. Eu fico olhando as paisagens quando estou caminhando. Pensando em nada, pensando em tudo.

Quando estou sozinha eu me olho no espelho, sei dos meus detalhes. Alguns somem, outros aparecem. Sou admiradora dessa arte metamórfica que Deus faz mim diariamente. Pela influência do ambiente, da natureza e até dos meus costumes.

Minha companhia hoje é a companhia mais gostosa que eu tenho. Ela me deixa dançar e ser ridícula o tempo todo.

SER LEAL A MIM MESMA

Isso é bem complexo. Eu tenho ideais, sou super idealista desde que me conheço por gente. Muitas vezes, incontáveis, abri mão dos meus desejos e sonhos para compartilhar o caminho com alguém. Fui ingênua por achar que compartilhar significa deixar o seu de lado e investir no do outro.

Quem sabe compartilhar de verdade, sabe que os dois lados são doadores e receptores, nada mais do que a igualdade imperando.

É um exercício diário acordar com meus sonhos e não deixar que o dos outros sejam mais importantes pra mim do que os meus. Eu tenho essa mania de querer ajudar os outros e esquecer de me ajudar. Mas taí, a vida é pra isso, não é não?! Pra aprender!

MAS CHEGA DESSES RELACIONAMENTOS ABUSIVOS

Eu aprendi que há dois tipos de pessoas que negam amor: as que não sabem amar e as que não querem amar.

O primeiro caso é o que acredito que o investimento dê mais retorno. Porque amar é investimento, investir demais, o tempo todo. Pois bem, uma pessoa que não sabe amar e experimenta essa sensação linda, nunca mais quer largar dela, assim como nós meros mortais que amamos com a maior facilidade da terra.

Mas não será fácil. Porque essa pessoa não sabe o que fazer ou como fazer. O amor é uma escola que ensina a gente a viver. Quem entende isso tem paciência pra ensinar e aguentar a revolta, as feridas, as dores. E que dores.

Dá medo de perder, dá medo de não ser o suficiente (acredite, você é), dá medo de dar errado, dá medo de um monte de coisa, sai medo até dos buracos.

Mas se você não se amar, se respeitar e ser leal à você mesmo, seu amor não terá nada de amor e será cheio de dor. Porque pessoas ferem. Com suas palavras, com seus gestos, com sua indiferença, com a falta de respeito.

Dê o exemplo de como amar você ao seu amor e nunca aceite um relacionamento meio vazio. Eu quero é distância desses uns. De gente egoísta e vazia, o mundo está cheio. Eu quero mais é equivalentes, gente que esteja sedenta para brilhar.

O segundo grupo é bem mais difícil de lidar. (Os que NÃO querem amar).

TIPO 1: É o que chamo de “Maníacos”. Aqueles que tem suas manias e acreditam que o mundo é exatamente o que eles já viveram e só (quanta pretensão).

Eles provavelmente já foram feridos ou tem fixação em ex companheiras (o). Acham que todas relações são iguais e que você é só mais um ser previsível, que vai fazer exatamente a mesma coisa pelo que ele já passou (SONO DESSA GENTE).

Meu conselho: se você estiver muito apaixonado por essa pessoa, vá com cuidado porque o perigo aqui é grande.

TIPO 2: São aquelas pessoas que estão em profundo auto conhecimento e não querem perder um minuto de sua vida maravilhosa, porque alguém que pode não ser generoso o suficiente entre em sua vida e queira mudar tudo. A vida está maravilhosa assim, para que colocar um possível problema?

Eu acho que esse grupo é louco para amar. Mas finge que não porque a vida fica mais fácil assim, com sua comodidade garantida. Mas acordemos migos, o amor é MARA (PS: Eu sou desse grupo, hehe)!

POR FIM, O QUE IMPORTANTE MESMO É…

Se você encontrar um parceiro que você pode amar, ame. Mas ame muito a você em primeiro lugar, porque essa aliança é eterna. Como já diziam os velhos sábios, os outros que vem para nossa vida, só encosta se for pra somar.

Pra fazer guerra de travesseiro, comer doce adoidado, brincar de pistola d’água e pagar micão na rua. Se não for assim, dá pra passar vergonha sozinha, né?! Como eu disse, sou mais que cheia, eu transbordo.

E espero que você também!

Um beijo e um abraço bem forte, até a próxima!

Autor:

Metamorfose ambulante, ♥

Comente sua opinião aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s