Publicado em Poematizese

#ResenhadoLivro: Destino – Ally Condie

destino
Esta é a história de Cássia e da sociedade em que vive. Com os anos passando, os líderes da civilização foram aprimorando maneiras de a vida humana ser cada vez melhor. As pessoas ficam menos doentes, tem casamentos saudáveis, filhos saudáveis, morrem numa data certa, aparentemente tudo evoluiu. A partir de estudos de muitas gerações, eles definiram padrões para todos os comportamentos humanos, visando a sociedade perfeita. Cássia é uma adolescente que começa sua vida social no Banquete do Par, onde encontrará o par perfeito de acordo com os testes da sociedade. Porém, nessa noite algo estranho acontece. O resultado de quem é o par de Cássia já é um acontecimento raro, um garoto do seu bairro. Daí por diante, Cássia que além de ser uma das mentes mais brilhantes da sociedade, se torna também, um símbolo de perigo para a sociedade e seus padrões. Sua inteligência e sensibilidade a levam a questionar o atual sistema regente, que até então, era tudo em que ela acreditava.
Impressões

A primeira coisa que eu quero destacar é como essa autora é inteligente. Ela simplesmente faz uma coisa que eu amo nos autores: ela deixa o leitor curioso o tempo todo. Estamos lendo um romance juvenil e fora o clichê óbvio – o triângulo amoroso, que parece ter virado tendência nos últimos romances -, ela vai te instigando a propor hipóteses do que acontecerá na próxima página, no próximo capítulo, na sequência, no fim… Esse é um estimulante sem fim para você continuar a leitura: curiosidade combinada à criatividade – milhões de coisas que podem acontecer na história.

Um dos pontos fortes do livro é a leitura fácil. Conheço muitos críticos que acham isso um problema, eu penso o contrário: quanto mais simples e fluída a leitura, mais pessoas comunicamos. É uma leitura bem tranquila, o que faz o leitor se preocupar menos com as palavras e mais com o universo que a autora cria.

Outro aspecto muito interessante do livro, é logo na capa, a arte. Os três volumes tem uma sequência da garota saindo de sua bola de vidro. Provavelmente, essa é a história da trilogia inteira, o libertar-se dos padrões.

Sobre os aspectos da história mais interessantes, destaca-se o romance entre Cássia e Ky. Apesar de serem dois adolescentes, trata-se de um romance extremamente maduro e generoso, as coisas vão fluindo gradativamente e os gestos de cada um são devidamente comemorados durante a narrativa. Mesmo em meio às descobertas, os dois se propõem a se entregar à relação e fazem o seu melhor para que ela flua de ambas as partes e em conjunto. Isso é muito legal, porque anula aquela ideia de que se relacionar com outra pessoa é um mar de insegurança e vulnerabilidade. Ponto para a autora!

O grande trunfo da autora na história, pode ser observado na constante crítica da sociedade perfeita, “será que segurança é o que todos queremos?”, essa frase define bem a ideia geral do livro. Uma sociedade que define todo o seu pensamento, o que você come, veste, com quem se relaciona, o que você faz, no que trabalha, desenha sua mente e etc, pode ser uma sociedade extremamente segura, porém, o que ela aproveita em você? Somente sua pacificidade.

Inicialmente, acredita-se que aquela sociedade é a melhor que já existiu porque não há nada de mal nela, nem violência, nem doenças, nem golpes – aparentemente. Porém, imagine que louco viver num mundo onde não há traço de personalidade em lugar algum, onde o pensamento é totalmente condicionado pelo que os líderes dessa sociedade querem que você pense (Sentiu uma semelhança com o mundo atual? MÍDIA, MÍDIA, MÍDIA.), o direito de escolha é totalmente inexistente.

De repente, no andamento normal da sociedade, uma coisa muda. A personagem de Cássia vem quebrar o conceito de ser pacífico e aceitar tudo. A personificação da quase perfeição em um de seus cidadãos faz a sociedade ficar de olhos vibrantes por Cássia, então, eis a surpresa: como uma das cidadãs mais bem qualificadas ela também é um ser pensante, e o melhor, um ser sensível – o que não agrada nem um pouco aqueles que mantêm as severas normas de como caminha a sociedade.

Imagine que essa garota começou a questionar o movimento dessa sociedade perfeita. Provavelmente deu problema, né?! Eu posso contar que o livro termina no início da luta de Cássia por suas escolhas. Eu já vou correr para ler o restante da trilogia, porque meu povo, esse livro é bom demais!

Aproveito e deixo minha frase favorita do livro para atiçar a curiosidade:

Se não pudesse dar um nome para isso, como eu saberia o que é? Será que ao menos conseguiria sentir?

Obrigada pela companhia e até mais!!! Beijão.

Autor:

Metamorfose ambulante, ♥

Comente sua opinião aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s